Fechar
NEWSLETTER
Energia solar e geração distribuída: tendências para 2019
Fechar
O setor energético definiu que a energia solar vai crescer 44% no Brasil este ano,

o que levaria o país à marca de 3,3 gigawatts da fonte em operação.

 

A boa notícia foi dada pelo presidente da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absoltar), Rodrigo Sauaia, em entrevista à agência de notícias Reuters, recentemente.

O ano também deve marcar uma virada para o mercado solar brasileiro, segundo a entidade, com a expansão impulsionada pela primeira vez pela chamada geração distribuída, na qual placas solares aplicadas em telhados ou terrenos geram energia para atender à demanda de indústrias, estabelecimentos comerciais e residências.

Os projetos de geração distribuída deverão acrescentar 628,5 megawatts em capacidade solar aqui no Brasil, um crescimento de 125%, enquanto usinas fotovoltaicas devem somar 383 megawatts até o final deste ano, significando um avanço acima dos 20%. O Grupo Léros comemora este avanço com sua usina fotovoltaica no Campus da Fundação Paulista de Tecnologia e Educação – FTPE, no município de Lins. Inaugurado no final de 2016, o sistema é composto por 1.700 módulos fotovoltaicos de 330 watts cada, instalado numa área de 6.000 metros quadrados e com potência de 500 kwp com geração média de 80.000 kwh/mês, o suficiente para atender a demanda de 500 residências.

Além de atender a demanda de todo o campus da Fundação Paulista, onde estão instaladas as ETL, Unilins e Cetec, a usina fotovoltaica é responsável por gerar estágios e conhecimentos práticos a professores e alunos.

A Absolar estima que a expansão da fonte neste ano deverá gerar investimentos totais de R$ 5,2 bilhões com cerca de R$ 3 bilhões para a geração distribuída.

Se sua empresa tem interesse em investir em outras fontes de energia, como a solar, solicite um estudo de viabilidade do Grupo Léros. Você também contará com consultores experientes em todos os assuntos ligados ao setor elétrico brasileiro, desde os aspectos legais e regulamentares até a efetiva operação do sistema nacional, passando pela metodologia do planejamento de expansão, munindo-o de toda a informação necessária para uma migração viável e vantajosa para sua empresa.

COMPARTILHE
REDAÇÃO
E-mail Facebook Twitter WhatsApp Pinterest