Fechar
NEWSLETTER
Você sabe como funciona uma usina fotovoltaica?
Fechar
As usinas solares são um dos principais meios de produção de energia alternativa

e têm ganhado espaço no Brasil, pois utilizam radiação liberada pelo sol para produzir energia.

Nessas usinas fotovoltaicas, como a que o Grupo Léros possui na Unilins, no Estado de São Paulo, milhões de painéis fotovoltaicos captam a luz do sol e a convertem em energia elétrica por meio de um processo chamado efeito fotovoltaico.

Os painéis são montados no solo, podendo ser fixados em terra ou então sobre estruturas chamadas de sistemas Solar-Tracker, dispositivos que acompanham o movimento do sol, garantindo o maior aproveitamento da energia solar durante o dia.

Os painéis solares produzem energia elétrica em corrente contínua. Desta forma, necessitam de um inversor solar para converter esta energia em corrente alternada. A corrente alternada é a energia consumida nas empresas, universidades, hospitais e nas residências.

Os inversores entregam a energia produzida pelos painéis fotovoltaicos em até 380 Volts. Para a transmissão de energia nas linhas de alta tensão é preciso de uma tensão bem mais alta que isso, portanto são utilizados transformadores para elevar a tensão para 13.800 Volts, 69.000 Volts, 138.000 Volts e até acima de 230.000 Volts.

Benefícios

As usinas solares correspondem a uma das principais fontes de energia e, diferente da energia eólica, a fonte energética estará sempre disponível. As usinas solares também conseguem atender a demanda energética de cidades inteiras, por exemplo. Tudo isso com um baixo rastro de carbono, menor degradação ambiental e alto potencial energético.

Com o aumento das iniciativas no segmento de energia solar, o Brasil vem expandindo seu investimento em parques solares. O país já se encontra hoje entre os 30 maiores geradores de energia fotovoltaica do mundo.

Invista em energia fotovoltaica e faça sua empresa crescer de forma sustentável. O Grupo Léros tem a proposta ideal para seu negócio. Solicite um estudo de viabilidade.

COMPARTILHE
REDAÇÃO
E-mail Facebook Twitter WhatsApp Pinterest